quinta-feira, 15 de julho de 2021

Xerostomia (sensação de boca seca) - Novidade!

 A xerostomia, ou secura bucal é a sensação advinda da diminuição do fluxo salivar. Esta situação leva a diversas e importantes complicações na saúde bucal, como cáries agudas, inflamações generalizadas nas mucosas, dificuldade de engolir, dormir, falar, entre outras mazelas. Enfim, a xerostomia atrapalha o paciente de maneira muito profunda.


Foto de Tim Samuel no Pexels



Para solucionar ou pelo menos amenizar, as intervenções atualmente disponíveis são a busca pela causa, e caso esta não possa ser resolvida, a implementação de fármacos específicos e dicas de estilo de vida, como chupar pedaços de gelo, mascar chicletes sem açúcar, usar um umidificador, hidratantes bucais, etc. 

Um dentista norte-americano, após ele mesmo ter sido um paciente com xerostomia, criou após décadas de pesquisas um aparelho chamado Voutia, lançado este ano nos Estados Unidos.  O aparelho é basicamente um dispositivo do tamanho de um celular, vestível que possui uma micro bomba leve e silenciosa, uma garrafa de água e um tubo ultrafino que é direcionado para dentro da boca e gera um fluxo, fornecendo reposição contínua de umidade diretamente na boca. Pode ser usado 24 horas por dia e é quase imperceptível socialmente.

Pacientes que procuram alívio continuarão a aparecer nos consultórios dentários. Embora as causas sejam sistêmicas, a xerostomia é vista naturalmente como um problema dentário, uma vez que os sintomas se manifestam por via oral. De acordo com a American Dental Association, a prevalência de xerostomia varia em torno de 6% das pessoas aos 50 anos, sobe para entre 15 a 30% aos 65 anos e chega a quase 100% para aqueles que recebem terapia de radiação de câncer nesta região ou com Síndrome de Sjögren. É fundamental ao dentista, saber como ajudar seus pacientes.

Infelizmente o Voutia será de difícil acesso ao mercado brasileiro. Todavia existem muitas outras formas de se amenizar a xerostomia e não deixa de ser um alento, sabermos que tal tipo de aparelho já existe e gerará mais possibilidades para que similares sejam desenvolvidos, alcançando o maior número de pessoas.

Converse com seu dentista, saiba que a xerostomia pode e deve ser tratada.

 Fonte: dentistryiq.com



     

segunda-feira, 14 de junho de 2021

Ansiedade e Extração Dentária

Uma pesquisa da Universidade de Valência mostrou que altos níveis de ansiedade fazem com que os pacientes tomem mais analgésicos após a cirurgia para extração dentária. 
O trabalho relata que pacientes já ansiosos, estressados no pré-cirúrgico ou durante a cirurgia tomaram significativamente uma quantidade maior de analgésicos e antiinflamatórios para controle da dor pós-operatória.

Foto de Austin Barber no Pexels


O medo e ansiedade fazem parte do dia a dia nos pacientes que procuram o atendimento odontológico. Todos temos receio de passar por situações que não conseguimos controlar muito bem o transcorrer. Acredita-se que, nos países ocidentais, um em cada sete pacientes apresenta altos níveis de ansiedade ao ir ao dentista. Tal sensação leva a efeitos diretos no conforto dos tratamentos dentários. Ou seja, um importante aspecto no atendimento odontológico, é a humanização, a atenção ao paciente que está "por trás"da patologia. Portanto é primordial que o profissional da saúde acolha o paciente, escute além de suas queixas observando o que o deixa mais calmo e o que pode ser feito para minimizar o desconhecimento das etapas do tratamento. O dentista deverá investir um bom tempo explicando o necessário, de forma que possa dirimir todas as dúvidas para que a evolução seja a melhor para o caso. O exercício da empatia ao conversar com o paciente renderá diversos frutos positivos à saúde bucal geral como: minimização no uso de medicações para controle da dor, aumento na consciência da necessidade de prevenção rotineira, aceleração nos términos dos tratamentos (já que o paciente estará mais colaborativo), diminuição de custos para o cliente (pois necessitará de menos intervenções curativas), entre outras. Em suma, o ganho será geral e a percepção final será o aumento da qualidade de vida bucal. Procure sempre o dentista que mostre de maneira compreensível o que será feito, a tranquilidade agradece. 


segunda-feira, 10 de maio de 2021

Desastre em Saúde Bucal - Efeitos da Pandemia

Foto de Anna Kester no Pexels


A Federação Dental Internacional divulgou dados sobre as consequências, advindas dos primeiros lock-downs implementados, na saúde oral das pessoas ao redor do planeta.

"Vamos chamar pelo que realmente é, um desastre odontológico", disse Dr. Gerhard Seeberger, presidente da Federação Dental Internacional, citando que as restrições certamente aceleraram a questão da saúde bucal, mas que não foi só isso.

Durante a primeira onda da pandemia, em torno de 77% dos consultórios foram forçados a fechar. Por 2 a 3 meses, consultas para prevenção ou pequenos tratamentos foram adiadas, sendo mantidas somente as de urgência. O problema é que em geral, as patologias bucais começam de maneira pequena e sem tantos sinais ou sintomas. Com a postergação, os problemas só se fizeram acumular, chegando a ponto de não retornos para dentes que poderiam ser salvos, e tiveram que ter nova indicação de tratamento para extração.

Por outro lado, entre os períodos que os consultórios puderam atender, graças aos protocolos de segurança contra infecções, as pequisas mostraram que a taxa de Covid-19 entre os dentistas foram significativamente mais baixas que outros profissionais de saúde com mesmo nível de exposição na maior parte do globo.

Apesar disto, muitas pessoas tem evitado o check-up rotineiro com seu dentista, e só ido ao profissional, em casos de dor extrema. Muitas vezes já com patologias em estágios avançados que levam a tratamentos mais complexos.

Considerando os protocolos de segurança, alguns pesquisadores consideram a necessidade do comparecimento ao consultório odontológico, para rotina, nos pacientes com perfil de risco maior a doenças bucais. 

Não espere a pandemia acabar. Aprendamos a conviver nesta nova realidade e cuide de sua saúde oral de forma preventiva! De tal maneira, teremos mais conforto e menos riscos para o futuro próximo!


segunda-feira, 26 de abril de 2021

Cursos Sugeridos - Massagem Rápida

Nesta sessão (marcadores de Cursos Correlacionados Sugeridos), iremos inaugurar a demonstração de cursos selecionados na internet, que possam ajudar as pessoas com as diversas questões que enfrentamos nesta caminhada da vida. 

O estresse do dia da dia leva a diversos problemas de saúde, dentre os quais as dores musculares, que costumam piorar bastante a qualidade de vida. Assim sendo, selecionamos um curso de massagem rápida que pode ajudar bastante em vários sentidos. Veja abaixo a descrição e o link, caso queira fazê-lo.



A Quick Massage é uma técnica de massagem que é ímpar e essencial para o terapeuta (e quiçá para quem queira atuar nesta área, profissionalmente ou não). Digo isso porque ela pode ser o seu principal canal para a captação de clientes. Sem contar que é uma ótima fonte de renda também.

A Quick Massage é uma massagem feita em uma cadeira adaptada na qual o massoterapeuta atua nas costas, braço, pernas e cabeça de forma rápida e por cima da roupa. Essa massagem leva cerca de 15 minutos de duração.

Ela é muito usada em empresas, aeroportos, praças e qualquer outro ambiente onde tenha pessoas.

No meu Curso Online de Quick Massage ensino como fazer uma sequência de quick massage que foi desenvolvida na prática, ou seja, eu fui aprimorando as técnicas e, após mais de 25.000 massagens, concluí que as manobras ensinadas nesse curso são as mais eficazes para o cliente e que gastam o mínimo de energia do terapeuta.

Como ela é o seu "cartão de visita", ou seja, você vai fazer essa massagem fora do seu consultório, porém todos que sentam na sua cadeira tem uma probabilidade muito alta de serem seus clientes e para que isso aconteça você precisa fazer uma massagem sensacional. Só isso!

Eu ensino exatamente isso. Sempre digo aos meus alunos que uma Quick Massage bem feita muda o dia da pessoa.

Com o Curso Online de Quick Massage você irá aprender como fazer uma massagem sensacional aplicando todas as técnicas exclusivas desenvolvidas por mim mesmo se você for totalmente leigo e estiver começando agora!

Compre o Curso Online de Quick Massagem do Professor Thiago e melhore sua qualidade de vida! Basta clicar aqui.

segunda-feira, 5 de abril de 2021

Microscopia em Periodontia (Tratamento gengival)

 É sabido que mais de 90% da população adulta sofre de algum problema gengival e infelizmente os danos gengivais costumam ser silenciosos, ou seja, o doente muitas vezes não percebe o que está ocorrendo (para saber mais, leia em nosso blog o texto sobre problemas gengivais). Quando se diagnostica a doença, ela já pode estar em estágio mais avançado e acaba por necessitar de tratamentos mais demorados, caros, invasivos e por consequência, mais dolorosos. É também sabido que quanto maior a necessidade de se "abrir" uma gengiva para o tratamento cirúrgico, pior é o pós-operatório com relação ao tempo de cicatrização e a dor.



 Para contornar esta situação, tem sido difundido, cada vez com mais qualidade, o uso da microscopia operatória na periodontia. Ou seja, através de técnicas microcirúrgicas e magnificação com uso do microscópio, o especialista consegue acessar (enxergar) de uma maneira tão ampliada, que pode fazer incisões muito menores nos sítios a serem operados. Com isto todo o pós-cirúrgico é otimizado. Obtemos assim, mais conforto, menos morbidade e resultados muito superiores. Em suma, a tecnologia melhora a periodontia e a qualidade do atendimento a níveis nunca antes atingidos.

 Invista em sua saúde, através do uso da tecnologia de ponta (e de suas técnicas). É muito melhor! Procure o periodontista que utiliza tal aparato nos casos necessários e obtenha o máximo de conforto possível.

 

sexta-feira, 5 de março de 2021

Dúvidas Em Higiene Oral - Fio Dental - Antes ou Depois da Escovação?

Dúvida rápida de muitos pacientes na higienização oral. "Devemos usar o fio dental antes ou depois da escovação?"

Pexels


Um estudo importante randomizado controlado, publicado no Journal of Periodontology concluiu que usar o fio dental ANTES da escovação, além de proporcionar maior redução na placa interdental, favorece a retenção de flúor nos espaços interproximais (entre os dentes), protegendo de cáries e do início da perda óssea nesta região. Em síntese, a lógica do trabalho mostrou que quando removemos os detritos e a placa bacteriana com o fio antes da escovação, deixamos a área "varrida" e pronta para receber o "sabão"(pasta dental). 
Portanto, além de enfatizar a importância do fio dental, lembre-se de usar da maneira correta (veja em futuro artigo ou pergunte ao seu dentista) e antes das escovações. Sua saúde bucal agradece.
Proteja seus dentes. Procure um dentista que saiba explicar sua saúde bucal e melhore sua qualidade de vida!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Fiz meus implantes e minha reabilitação. E agora?

Photo by Yusuf Belek on Unsplash


 Esta é uma grande dúvida que recebo, como periodontista (que é o dentista que acaba, na maior parte das vezes, sendo o "especialista" em prevenção). O paciente vai a um colega, passa pelas cirurgias para instalação dos implantes, depois coloca a prótese (dentes) e vai embora. Caso encerrado. Será?

Infelizmente, muitas vezes, o dono de um trabalho novinho de reabilitação (implantes + dentes protéticos) não recebe qualquer informação útil sobre como utilizar da maneira adequada, o seu novo investimento. Possuir um lindo trabalho feito na boca, seja com implantes, porcelanas, resinas ou outros materiais, implica necessariamente em ser orientado a um programa de manutenção que ajudará a aumentar a longevidade e o conforto do tratamento. A analogia pode ser como a de uma casa ou de um carro, você comprar o bem não vai livrá-lo da necessidade de se fazer os cuidados de manutenção, de reparos e trocas de peças. Sempre. O termo definitivo é adequado somente para certezas da vida, entre as quais conhecemos pagar impostos e morrer. Todo o resto não é perene, ad aeternum. 

Trabalhos científicos diversos e confiáveis mostram que a durabilidade de um tratamento, está diretamente relacionada à capacidade de se adequar a um programa de controle, de proservação (de follow-up). Portanto, quando estiver disposto a passar por um bom tratamento odontológico, saiba que se no início não houver um plano de manutenção, talvez não valha a pena nem começar.

E esta questão vai muito além da parte financeira. Pense, que caso esta parte não fosse importante do ponto de vista de se ter recursos de sobra, ainda assim valeria a pena passar horas em uma cadeira de dentista, sofrer procedimentos cansativos, alguns desconfortáveis, para depois só levar a mais sofrimentos?

Invista em PREVENÇÃO! Manter o que já foi conquistado vale muito mais que qualquer recurso financeiro, pois retrabalhos levam a dores e perda de tempo! Pense nisto, se não for para "jogar sério" talvez seja melhor procurar um profissional que saiba ser seu tutor neste longo caminho da vida... sim, cuidar de dentes e reabilitações, é demanda para o resto da vida!